Buscar
  • Sérgio Martins

Cristovam: "o confinamento alterou a minha sonoridade"


O convidado de hoje de Canções do Confinamento é alguém que realmente foi beneficiado com o fato de estar trancafiado. O cantor e compositor Flavio Cristóvam, natural do arquipélago dos Açores, lançou uma canção chamada Andrá Tutto Bene, ou seja, Tudo Vai Ficar Bem. Ela ganhou ainda mais força com clipe, dirigido por Pedro Varela, e filmado em preto e branco, que mostra ruas desertas, filas nos supermercados e pessoas com máscaras.

Com vocês, Cristóvam

O que você anda escutando nesse período tão estranho para todos nós?

Nestes últimos dias tenho estado a ouvir os discos The Great Untold de Scott Matthews; New Ways de Leif Vollebekk; Evening Machines de Gregory Alan Isakov e o novo de Stu Larsen – Marigold. Depois há ainda 2 ou 3 que ouço sempre há muito tempo – Ashes and Fire de Ryan Adams, Sea Change de Beck e Sailing to Philadelphia de Mark Knopfler.





Você ainda encontra inspiração para produzir ouse dedica a outras atividades?

Sim. Tem sido um periodo de criatividade para mim. Apesar do confinamento, há muito terrento fértil do ponto de visto emocional. Muitas emoções que nunca tinha sentido antes e isso consequentemente impulsiona a criação de novas canções como aliás, foi o caso de Andrà Tutto Bene.



O período pelo qual estamos passando irá afetar a tua maneira de compor?

Já está a afetar. Estou a escrever sobre coisas que nunca escrevi antes e mesmo do ponto de vista de gravação, o confinamento tem-me forçado a gravar todos os instrumentos por não poder sair de casa e estar com outros músicos. Estou a gravar tudo sozinho e isso também tem proporcionado algumas alterações à sonoridade das minhas canções.



35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo